Os três primeiros passos para se criar boas histórias

Perdi o emprego! E agora? Viva as novas possibilidades
20 de October de 2017
Tudo o que você precisa saber sobre Leitura Crítica
20 de November de 2017

Os três primeiros passos para se criar boas histórias

Three question marks printed on a typewriter

Aprenda agora como criar boas histórias

S e você tem uma ótima história em sua cabeça e não sabe por onde começar, não se desespere. Estou aqui para te dizer que há um passo a passo para organizar suas ideias e fazer esta história passar da imaginação para o papel.

E se você ainda não tem uma história, mas tem vontade de escrever uma, também existe um método para fazerem as ideias brotarem.

Vamos lá?

Digamos que você não tem nem uma história em mente, mas deseja avidamente ser um contador de histórias e procura por algo que encha os olhos dos leitores. Lembre-se que estou falando aqui de ficção certo? E neste campo, quanto mais imaginação melhor. Mas não confunda ficção com ficção científica ou ficção fantástica, são coisas bem diferentes. Ficção é toda história inventada, que não é real, não aconteceu de verdade, mas pode muito bem se passar no presente atual, em um mundo real exatamente como o que vivemos. Já ficção científica e a fantástica vão além do mundo real, extrapolam esta barreira se utilizando de elementos que não existem na nossa realidade (sendo eles possíveis ou não de um dia existirem), criando assim cidades, mundos, universos e realidades além da que conhecemos. Mais para frente escreverei um post só sobre este assunto e explicarei melhor. Agora vamos nos ater em como criar uma boa história.

PASSO 1 – PESQUISE OS LIVROS MAIS VENDIDOS

Mesmo que não esteja, segmente a sua pesquisa então para o seu nicho, para aquilo que gosta e sabe escrever. Continuemos a utilizar o exemplo de livros de terror. Então procure rankings e listas dos mais vendidos dentre os livros de terror. Você pode então pensar:

Poxa, mas se o meu nicho não esta entre os mais vendidos no geral, talvez não seja uma boa ideia escrever sobre isto. O que posso te dizer, é que o que não é realmente uma boa ideia fazer, é escrever sobre um nicho que não domina. Se sua praia é terror, mas o primeiro livro na lista de vendas é sobre uma história de amor, não adianta tentar escrever sobre o assunto só porque esta vendendo e você acha que deve ir na onda, pois irá se dar mal. Sou da opinião que devemos escrever sobre aquilo que gostamos, temos paixão e sabemos sobre o assunto.

E fique tranquilo, pois mesmo que seu nicho não esteja entre os mais vendidos no momento, saiba que isto é sazonal e que dentro do que sabe escrever sempre haverá publico. E se o fizer com seriedade, técnica e de coração, se destacará no seu meio, alcançando um bom resultado.

Lembre-se, só porque o assunto sobre qual escreve não está na lista dos mais vendidos, isto não é um impeditivo para que não escreva sobre ele. Esta dica é só um termômetro. Ainda mais, porque se de repente, você for uma fera no que escreve, apesar de seu nicho não estar na lista atualmente, quem sabe não faltava você falar sobre o assunto para que ele passe a estar.

Veja abaixo alguns links para pesquisar os livros mais vendidos:

O site Publishnews, ao meu ver, é uma das melhores opções para este tipo de pesquisa.

http://www.publishnews.com.br/ranking/anual/9/2016/0/0

Seguindo o exemplo que dei, veja uma lista dos livros de livros de terror mais vendidos:

http://www.mundodastribos.com/livros-de-terror-mais-vendidos.html

PASSO 2 – O QUE TE INCOMODA?

Agora que já tem ideia de qual nicho irá escrever e de como ele está na lista dos mais vendidos é hora de criar um objetivo para sua história. Tudo bem que você goste de terror (estou insistindo neste tema né? Mas não sou escritor de terror viu rsrs). Pode ser suspense, aventura, amor ou qualquer outro nicho, o que está em pauta aqui é a moral de sua história.

Por que?

Porque independente do tipo de livro que goste de escrever, você não está escrevendo para você e sim para outras pessoas (se seu objetivo é ser um escritor profissional). E o que nos liga e nos faz se identificar com uma história são os elementos que temos em comum e identificamos nelas. Nossos anseios, medos e desejos. É preciso tornar a história o mais humana possível para se aproximar de seu leitor por mais que ele goste de aventuras, ponta pés e corridas de carros. E o único jeito de fazer isto é criando histórias com personagens (por mais fantásticos que sejam), que tenham personalidade, sentimentos, falhas e desejos humanos, porque aí nos identificamos com eles. E nada melhor para isso do que dar a sua história um objetivo ligado as questões que te incomodam.

E quando digo suas questões, falo das particulares mesmo. Não de questões universais como a origem da humanidade, o instinto para mal ou para onde vamos após a morte. Tem que ser mais íntimo. Eu por exemplo, para o próximo livro que lançarei em breve, usei como objetivo algo muito pessoal que sempre me incomodou: a ausência de meu pai e o sentimento de rejeição que derivou disso. E apesar da minha história ser de ficção científica, o personagem principal está em busca de algo que para ele é o motivo de ter embarcado na aventura. Achar o filho desaparecido, ser aceito por ele como pai e aceitá-lo como filho.

Entenderam?

Tendo algo mais humano, que é comum às pessoas em seus anseios, desejos ou aflições, você aproxima sua história do leitor, que te garanto se interessará muito mais por ela, evitando largar o livro no meio do caminho.

E claro, não precisa ser só aflições. O que mais te incomoda pode ser muito bem a conquista de um emprego ou a conquista de um amor distante ou não correspondido. Ou até ter o tão merecido sossego em uma ilha paradisíaca ou a busca por uma herança ou um tesouro perdido. O importante é que você estabeleça este objetivo e paute sua história em cima dele.

PASSO 3 - PERSONAGENS

Agora que já tem um objetivo, chegou a hora de definir quais personagens farão parte da história, criar um passado, características físicas e emocionais para eles. Ao menos para aqueles personagens que estarão em evidência durante todo o desenvolver da trama.

Isto é importante para dar profundidade aos personagens, pois se eles são superficiais, sem problemas, conflitos, personalidade, a história por mais que tenha uma trama fantástica, acaba por perder a força diante da rasura de seus personagens. Mais para frente, dedicarei um artigo especial só para falarmos de personagens

O método que utilizo aqui, é partir do nome, descrição física e então contar sua história: onde nasceu para onde foi, qual sua relação com o personagem principal (se não estiver descrevendo o principal, claro), qual sua importância na história e o que acontecerá com ele.

Feito esses três passos você já está pronto para escrever a premissa. Ah! Pensou que já iria escrever a história direto né? Um pouco mais de paciência pequeno gafanhoto! Se deseja mesmo ser um escritor profissional e vender livros, é necessário método e utilizar um passo a passo para que isto funcione.

Em breve, publicarei COMO CONSTRUIR UMA PREMISSA MATADORA.

Se quiser saber mais, me acompanhe por aqui, no blog do meu site, acesse minha página de coach literário (http://leonardoborn.com.br/cursos/), ou entre na minha página do Facebook (https://www.facebook.com/leonardobornautor75/) lugares onde você encontra informações sobre o curso que ministro para quem deseja escrever um livro. Se preferir, envie um e-mail para leonardo.born@gmail.com.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *